Saiba como utilizar os serviços digitais e
realizar operações na Cresol com segurança

Confira algumas orientações para ficar atento às fraudes e golpes na internet.

Dicas de segurança

Cuidado com as senhas

– Não compartilhe sua senha e dados de seu cartão por ligação telefônica, SMS, WhatsApp ou e-mail. Essas informações são sigilosas.

– Sua senha não deve ser inserida em sites desconhecidos ou páginas geradas por links recebidos por WhatsApp, SMS ou e-mail.

– Nenhum colaborador da Cresol está autorizado a solicitar sua senha, em nenhum canal de atendimento.

– Crie senhas seguras, que contenham letras maiúsculas, minúsculas e números, além de um recomendável mínimo de 8 caracteres. Isso elimina eventuais ataques que buscam senhas fáceis de serem descobertas na internet.

– Nunca utilize as mesmas senhas de entrada no seu internet banking em outros meios de autenticação.

– Memorize suas senhas. Não é boa prática anotá-las.

Fique atento às fraudes

– Não clique em links com promoções recebidas por WhatsApp, SMS ou e-mail, que sejam suspeitos ou muito extravagantes.

– Fique atento a conversas duvidosas. A Cresol não entra em contato para pedir informações ou dados bancários por WhatsApp, ligação telefônica ou SMS.

– Na dúvida, entre em contato com o seu gerente ou utilize algum canal de  relacionamento Cresol informados no site oficial.

Dicas de segurança sobre o Pix

Pessoas má intencionadas podem entrar em contato com os cooperados se passando pela Cresol para cadastramento da chave Pix. Sempre acesse o aplicativo oficial da Cresol para fazer o gerenciamento das suas chaves.

O Pix, novo meio de pagamentos do Banco Central, trouxe facilidade, com transferências 24 horas por dia, todos os dias da semana. No entanto, é necessário ficar atento a eventuais tentativas de golpes e tomar precauções.

Fique atento:

– O cadastro de chaves e todas as operações (pagamento, recebimento e QR Code, por exemplo) são realizadas diretamente no app Cresol em seu celular.

– Desconfie dos links e promoções que receba e não realize nenhum teste para utilização ou habilitação do Pix.

Clique aqui e saiba mais sobre o Pix da Cresol

Sobre a Privacidade dos seus dados

Com o avanço na Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, as informações dos nossos cooperados têm ainda mais valor. Contamos com um sistema de segurança do Banco Central, entre outras ações próprias da Cresol, para manter a segurança e a privacidade das suas informações sempre íntegras.

– As informações dos nossos cooperados e as comunicações de rede são através de canais criptografados com SSL, seguindo padrões de mercado que garantem a privacidade do conteúdo enviado ou recebido.

– A Cresol dispõe de times que sistematicamente buscam novas tecnologias para manter o ambiente seguro e confiável, sempre alinhado às boas práticas de segurança do mercado.

– A Cresol possui mecanismos que registram o acesso de todos os colaboradores às informações. Assim, os dados dos cooperados somente são acessados quando é necessário e por quem tem permissão.

Mecanismo Especial de Devolução Pix (MED)

– O que é o MED? É o conjunto de regras e de procedimentos operacionais destinado a viabilizar a devolução de um Pix a partir do próprio participante recebedor. Ou seja, é o mecanismo que permite que o participante recebedor debite recursos recebidos por meio de um Pix da conta do seu cliente sem pedir a sua autorização a cada devolução.

– Em quais casos se aplica? Fundada suspeita do uso do Pix para a prática de fraude o Falha operacional no sistema de tecnologia da informação de qualquer dos participantes envolvidos na transação.

– Em quais casos não se aplica?
– Controvérsias comerciais entre os usuários;
– Transações com fundada suspeita de fraude em que os recursos forem destinados à conta transacional de um terceiro de boa-fé. Em relações comerciais, o MED se aplica apenas ao caso em que o terceiro creditado não agiu de boa fé (não enviou o produto comprado, enviou produto com defeito ou enviou produto diferente do comprado, por exemplo).

Para atender a esta demanda regulatória, os contratos de Conta Corrente foram alterados, a fim de garantir legalidade nas devoluções solicitadas de Instituições Financeiras, alegando fundada suspeita de fraude com recebimento nas contas correntes da Cresol.

17. O Cooperado DECLARA e AUTORIZA a Cooperativa durante toda a vigência deste instrumento e da manutenção da associação e da conta ativa, a realizar, a qualquer momento, estornos que venham a ser necessários para corrigir lançamentos indevidos que possuam ligação com indícios de lavagem de dinheiro, fraudes, e por erro operacional, sem a necessidade de notificação prévia por qualquer meio, seja físico ou eletrônico.
17.1. O Cooperado fica ciente de que será aplicado o Mecanismo Especial de Devolução de um PIX, quando contratado, nos casos em que exista fundada suspeita do uso do arranjo para a prática de fraude e naqueles em que se verifique falha operacional do sistema de tecnologia da informação de qualquer dos participantes envolvidos na transação, nos termos dos normativos do Banco Central do Brasil.
17.2. As devoluções descritas no parágrafo anterior serão iniciadas por iniciativa própria da Cooperativa ou por solicitação do usuário. Neste último caso, a devolução fica condicionada à abertura e à conclusão, com a aceitação do participante prestador de serviço de pagamento do usuário solicitante, no tocante ao procedimento de notificação de infração relativo à transação a ser devolvida.
17.3. O Cooperado AUTORIZA expressamente eventuais devoluções e bloqueios dos recursos mantidos em conta transacional, em uma ou mais parcelas, até o atingimento do valor total da transação nas condições acima descritas no âmbito do Mecanismo Especial de
Devolução.
17.4. Em casos de suspeita de fraude a Cooperativa poderá bloquear cautelarmente recursos originários de um Pix. O bloqueio cautelar será efetivado simultaneamente ao crédito na Conta e poderá durar até 72 (setenta e duas) horas.

Glossário da Segurança da Informação

Conheça algumas das palavras mais utilizadas e seus significados:

1. Engenharia Social: método de ataque no qual se faz o uso da persuasão, abusando da ingenuidade ou confiança de uma pessoa com o intuito de obter informações que podem ser utilizadas para acessos não autorizados.
2. Fraudes externas e invasões: operações causadas por fraudadores, utilizando-se de ataques em contas bancárias, com conhecimentos em ferramentas que detectam e exploram fragilidades específicas em um ambiente tecnológico.
3. Malware: é qualquer software que tenha a intenção de realizar alguma atividade sem o conhecimento ou consentimento do proprietário, dessa forma beneficiando outra pessoa.
4. Phishing: é um golpe que se utiliza de engenharia social com o envio de mensagem não solicitada (spam) para se passar por uma instituição conhecida, como um banco, empresas ou sites, e que procura induzir os usuários a acessarem páginas falas ou instalar códigos maliciosos projetados para furtar dados pessoais e financeiros.
5. Spam: mensagem eletrônica não solicitada pelo usuário. Normalmente é uma mensagem publicitária com o objetivo de divulgar serviços ou produtos.
6. Spyware: malware que possui o objetivo de espionar informações pessoais do usuário.
7. Vírus: fazem cópias de si mesmos infectando outros arquivos legítimos do computador.

Mais informações sobre cuidados de segurança da informação podem ser lidas na Política de Segurança da Informação da Cresol.